Nova Mutum, 21 de Janeiro de 2019
DÓLAR: R$
Logomarca

Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 14h:46 | A | A

POLITICA

Sem dinheiro para honrar compromissos, Mendes estuda decretar estado de calamidade financeira

Por: Olhar Direto

Foto: Rogério Florentino

Foto: Rogério Florentino

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), declarou que está estudando decretar estado de calamidade financeira nos próximos dias, devido a crise econômica gravíssima que o Estado está enfrentando, sem recursos em caixa para honrar pagamentos a fornecedores, servidores e aos Poderes.

Em entrevista à Rádio Vila Real, na manhã desta sexta-feira (11), Mendes disse que está precisando fazer duras escolhas de quem irá pagar por falta de recurso e que infelizmente não pode honrar todos os compromissos.

“O Estado não pagou os fornecedores porque não tem dinheiro. Se não tem dinheiro para comprar remédio eu vou abrir mais comarcas? Defensor público é importante, não estou discutindo isso, agora me diga o que é mais importante, abrir uma nova defensoria ou comprar remédio para salvar a vida das pessoas? Certamente comprar remédio. Temos que fazer este tipo de escolha” disse o governador.

O democrata ainda revelou que já considera decretar estado de calamidade financeira por conta da situação caótica em que assumiu o Governo.

“Eu comecei a analisar desde ontem para cá em decretar estado de calamidade pública nas finanças de Mato Grosso. Isso na prática quer dizer que o Estado está na beira da insolvência. Temos que entender isso, os deputados e servidores precisam entender isso... Estou estudando decretar estado de calamidade porque é uma gravíssima realidade”, afirmou.

O chefe do Executivo também criticou o Fórum Sindical por orientar os servidores a entrar em greve geral, caso o escalonamento dos salários dos servidores continuarem nos próximos meses.

“Alguns falam em fazer greve. Se fazer greve resolver o problema de Mato Grosso, eu serei o primeiro a entrar em greve. Greve não resolve, é hora de trabalhar. Vocês acham que eu não estou pagando os servidores no dia 10 porque eu não quero, porque o secretário de Fazenda não quer? O Rogério Gallo é um servidor de carreira como eles e ainda não recebeu”, explicou.

Desde que tomou posse, no último dia 1°, Mendes tem trabalhado com sua equipe econômica para economizar o máximo para conseguir pagar as despesas do mês. Uma de suas primeiras medidas foi o escalonamento dos salários dos servidores, além de parcelar o 13°.

Nesta quinta-feira (10), o governador encaminhou quatro projetos batizados de ‘Pacto por Mato Grosso’, que segundo ele garantirá a economia de recursos públicos.

COMENTÁRIOS





ENQUETE POWER MIX

Você faz alguma atividade física regular (mais de 2 vezes por semana)?